Turismo Acessível

Os Itinerários Turísticos Acessíveis de Portugal, no contexto do Turismo, ao integrar a Mobilidade e a Acessibilidade para Todos, determinam qual o mercado específico contemplado pelo “Turismo Acessível”, as motivações da procura e as necessidades específicas a adotar pela oferta, com o objetivo de garantir um serviço de qualidade a Todos os clientes sem exceção.

A nível metodológico estes estudos apresentam as principais vantagens da aposta neste segmento de mercado, que, segundo vários autores, “se encontra negligenciado pela reduzida oferta turística existente”, incapaz de suprir, com equidade, as necessidades da procura. Assim, inicia com uma abordagem geral ao perfil do turista com mobilidade reduzida, enquadrando o projeto nas diversas necessidades e motivações deste mercado.

Seguidamente, é promovida a contextualização do projeto em termos legais, explorando a evolução da legislação portuguesa até ao panorama em vigência, e a importância do Decreto-Lei n.o 163/2006 de 8 de agosto para o desenvolvimento de iniciativas e projetos de promoção da acessibilidade para Todos.

São, ainda, apresentados os objetivos do projeto, definindo os processos utilizados para a sua elaboração e determinando quais os resultados finais a alcançar. Este projeto-piloto, pioneiro em Portugal, promovido pelo Turismo de Portugal, I.P. promove o desenvolvimento de diversos conteúdos de apoio à visita turística de pessoas com mobilidade reduzida, sendo um elemento essencial para a promoção e dinamização económica e social do sector no país.

O projeto piloto contemplou 20 destinos turísticos portugueses e foi desenvolvido para o TURISMO DE PORTUGAL, IP, com integração de conteúdos acessíveis na plataforma www.visitportugal.com – turismo acessível.

LINKS

  • https://www.visitportugal.com/pt-pt/experiencias/turismo-acessivel
  • https://business.turismodeportugal.pt/SiteCollectionDocuments/all-for-all/itinerarios-
    turisticos-acessiveis-de-portugal.pdf

ESTAÇÃO – 25 anos de VIDA entre CIDADES

Nesta publicação partilho alguns dos meus pensamentos e momentos de Vida que marcaram o meu percurso entre muitas cidades que foram para mim Estações de mobilidade, de tempo e de afetos.
Sei que as cidades não se constroem. Concebem-se. Mas nos próximos 25 anos, vou certamente perceber que as cidades é que me conceberam. 

Urbanismo e Ordenamento do Território Revisitado

Urbanismo e Ordenamento do Território Revisitado expõe um conjunto de mais de uma dezena de textos do autor, alguns em co-autoria, produzidos para as mais importantes publicações e congressos portugueses nos anos 80 e 90.

Do Fim do Mundo ao Princípio da Rua

Mais do que projetar a ampliação da rede viária há agora que planear a sua reconversão em espaço público; mais do que hierarquizar a estrutura viária; planear os trajetos dos cidadãos em termos de proximidade de deslocação apertando a rede das funções urbanas e o seu uso misto; mais do que projetar parques nos centros das cidades é dar qualidade à relação entre os parques periféricos ou áreas intermodais e o centro da cidade ou vila; (….) mais do que projetar passeios exclusivamente para circular, projetar passeios para estar ou que se possa descansar quando a idade assim o determina, e muito, muito mais que estes Planos de Mobilidade Urbana Sustentável podem atribuir á qualidade de vida dos cidadãos.

A Cidade das (i)Mobilidades – Manual Técnico de Acessibilidade e Mobilidade para Todos

Este livro, essencialmente técnico, é escrito sobre um imenso vale de reflexões sociais, sociológicas, ou no limite, até políticas. Não obstante ter no seu conteúdo Boas Práticas e Anotações para o Desenho Urbano, tem subjacente a dimensão política do direito de todos poderem aceder aos bens que a cidade deve oferecer.

Os Desafios das Cidades

No futuro, as cidades vão assumir um papel cada vez mais relevante de concentração de pessoas, do poder económico e político, destacando-se como polos catalisadores e difusores de fluxos, conhecimento e inovação. Cada cidade deverá ter a sua política e a sua estratégia de afirmação, procurando uma liderança forte para construir a sua visão e missão, definir os seus objetivos estratégicos e criar uma marca de confiança para se diferenciar, destacar, posicionar com o objetivo de mobilizar os residentes e tornar-se um polo de atração para investidores, visitantes, residentes e estudantes, para, assim, poder ter êxito no atual contexto de competição global.

Acessibilidade e Mobilidade para Todos

É com enorme orgulho que partilho este livro, organizado com o apoio do Jornal Planeamento e Cidades, plataforma de debate desde a sua existência e que sintetiza, em forma de amostra, o trabalho desenvolvido na última década em Portugal e comentado pelo Jornal nos últimos 5 anos. Foram, eventualmente, estes “detalhes” agora referidos como “boas práticas”, que hoje fazem a diferença de um Portugal mais competitivo, mais amigo e mais solidário.

Assim, em nome do ICVM, agradeço a todos, sem exceção, que nesta última década contribuíram decisivamente para tornar esta matéria num dos temas estruturantes das políticas urbanas e sociais portuguesas.

Cidades de Desejo entre Desenhos de Cidades – Boas Práticas de Desenho Urbano e Design Inclusivo

Este livro representa uma síntese da aprendizagem e trabalho desenvolvido nos últimos 15 anos nas diversas plataformas profissionais: autarquias, instituições, universidades, empresas. Foi na tentativa de encontrar as melhores soluções técnicas para o redesenho das vilas e das cidades, no contexto das inúmeras diversidades paisagísticas, arquitetónicas e sociais desses lugares, que este documento será um instrumento precioso, contribuindo para agilizar o processo de planeamento, do projeto e das obras nas vilas e cidades portuguesas.

Os Territórios (Sociais) da Mobilidade

Planear e projetar cidades, é tentar perceber o seu funcionamento estrutural, como suporte dos mais variados fluxos que, pela sua multiplicidade e diversidade, atravessam, cruzam e sobrepõem todo esse território, num tempo que se perde na velocidade. Exige-se deste modo, a ligação de todos os diferentes conceitos na formação de um único: aquele que possa transmitir total “direito à mobilidade” como forma inequívoca do direito à liberdade. – Paula Teles

1 2 3 11