“A cidade não se constrói, concebe-se”, Pedro Ribeiro da Silva

Pedro Ribeiro da Silva defende que “há, actualmente, a procura da felicidade desencontrada na cidade. Eternamente desencontrada, porque a cidade não foi concebida para a felicidade, mas para a paixão”. O especialista escolhe o termo “concebida” porque, no seu entender, “a cidade não se constrói, concebe-se”.

Pedro Ribeiro da Silva, coordenador da Rede Cidades e Vilas de Excelência.

“Cada vez mais na moda e na ordem do dia dos objectivos sociais e até económicos dos países, o tema “cidades felizes” é hoje investigado e discutido por todo o mundo, gerando congressos, estudos, colóquios, e rankings com indicadores chave para aferir quais são as cidades mais felizes e o que estas fazem para o conseguir.”

Receitas para a Felicidade Urbana, Cidades tecnológicas ou cidades sociais e humanizadas? e Porque é que somos felizes na nossa cidade? são alguns dos temas abordados por Rita Dias, autora do artigo “A Cidade que te faz feliz” in Revista Smart Cities #23.

Paula Teles apresenta “A Reabilitação da Mobilidade Urbana: da História ao Futuro” na V Semana da Reabilitação Urbana em Portimão

Paula Teles, presidente do Instituto de Cidades e Vilas com Mobilidade, foi oradora convidada no painel de especialistas da V Semana da Reabilitação Urbana, no passado dia 24 de maio, no Teatro Municipal de Portimão.

A sessão da tarde iniciou com a apresentação do tema A Reabilitação da Mobilidade Urbana: da História ao Futuro, por parte da Eng.ª Paula Teles.


O evento foi organizado pela Câmara Municipal de Portimão, Tempo – Teatro Municipal de Portimão e Operação de Reabilitação Urbana da ARU- Centro histórico de Portimão.

Paula Teles, presidente do Instituto de Cidades e Vilas com Mobilidade, presente no II Encontro Nacional sobre O Planeamento da Mobilidade Urbana Sustentável como oradora convidada

Paula Teles, presidente do Instituto de Cidades e Vilas com Mobilidade, foi oradora convidada no II Encontro Nacional sobre O Planeamento da Mobilidade Urbana Sustentável, que se realizou no dia 21 de maio de 2019, na Biblioteca Municipal Almeida Garrett, no Porto. O evento foi organizado pelo Instituto da Mobilidade e dos Transportes com o apoio da Área Metropolitana do Porto (AMP) e contou, na abertura, com a intervenção do seu Presidente, Dr. Eduardo Feio.

O Planeamento da Mobilidade Urbana Sustentável foi o tema principal desta edição, onde especialistas apresentaram estratégias, planos e, na sua ausência, processos nos municípios que representam. A Eng.ª Paula Teles apresentou a sua visão e do Instituto a que preside sobre a Operacionalização do Planeamento da Mobilidade Sustentável, face à realidade atual vivida em Portugal e visando um futuro sustentável e acessível a todos.

Nesta segunda edição, foi clara a perceção da insuficiência do planeamento da mobilidade sustentável face a orientação clara da Europa em que todos os estados-membro devem elaborar os respectivos Planos de Mobilidade Urbana Sustentável, PMUS, na União Europeia intitulado SUMP, Sustainable Urban Mobility Plan.

O II Encontro Nacional estabelece um marco histórico na agenda do Planeamento da Mobilidade Urbana Sustentável na medida em que o IMT, agora de forma inequívoca, apelou à elaboração dos PMUS deixando a exclusividade que atribuía ao PMT enquanto figura única do planeamento da mobilidade em Portugal.

Paula Teles, falando também em nome da Rede de Cidades e Vilas de Excelência, referiu a necessidade de agora criar um quadro legal simplificado para a elaboração dos PMUS, encontrar uma linha de financiamento para as autarquias o desenvolverem e adaptar o guião da união europeia, cuja revisão será apresentada no próximo mês em Groningen.

Terminou referindo que, no seu entender, “Descarbonização das Sociedades” e “Humanização das Cidades e Vilas” são as palavras chave para a próxima década 2030.

1 2 3 4